Universidade de Aveiro atribui Honoris Causa a Arsélio Pato de Carvalho
A Universidade de Aveiro vai atribuir o título Doutor Honoris Causa ao responsável pelo desenvolvimento da Neurociência em Portugal, Doutor Arsélio Pato de Carvalho. A cerimónia realizar-se-á dia 19 de abril, pelas 16h00, no auditório da Reitoria, e contará com as intervenções do Reitor, Manuel António Assunção, do diretor do Departamento de Biologia, Amadeu Soares (padrinho), e do novo Honoris Causa, Arsélio Pato de Carvalho. O programa do dia termina com o descerramento da fotografia na Galeria “Doutores
Arselio Carvalho

A atribuição do título de Doutor Honoris Causa ao professor catedrático jubilado do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, presidente honorário do Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra e autor das bases para a formação avançada nas áreas das ciências da vida e da saúde, foi proposto pelo Departamento de Biologia, como forma de homenagear todo o trabalho realizado em prol do desenvolvimento da Neurociência em Portugal e reconhecimento pela inspiração dada ao modo como este Departamento da UA se desenvolveu na última década e meia.

“Neste ano em que comemora os seus 40 anos, o Departamento de Biologia propõe que seja atribuído ao professor Arsélio Pato de Carvalho o título de Doutor Honoris Causa, por se tratar de um académico íntegro, de perfil completo e enorme reputação científica na Biologia Fundamental e ligada à Saúde e na Comunicação de Ciência, inspirador do modo como o Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro cresceu e se desenvolveu na última década e meia.” lê-se na proposta apresentada ao Conselho Científico e aprovada naquele órgão por unanimidade.
Pioneiro no desenvolvimento da investigação em Neurobiologia Celular e Molecular em Portugal, Arsélio Pato de Carvalho desenvolveu estudos sobre os mecanismos da regulação da neurosecreção e da neurotoxicidade celular pelo cálcio e pelo óxido nitrico como “triggering agents”, usando como modelos de estudo sinaptosomas e neurónios em cultura.

A contribuição científica do seu grupo definiu, em termos moleculares, como estes dois agentes podem ter funções fisiológicas, ou ser tóxicos. Estes conhecimentos serviram também de base para um estudo, em parceria com a BIAL, de controlo da toxicidade de anti-epilépticos produzidos pela BIAL, um dos quais foi já lançado no mercado. Em paralelo, outros grupos do centro que dirigiu evoluíram com estudos relevantes a várias doenças neurodegenerativas, que hoje muito contribuem para a excelência do Centro de Neurociências.

Esta investigação, conduzida por dezenas de doutorandos, mestrandos e pós-doutorados, implantou em Coimbra uma área biomédica de sucesso, com grande impacto nas faculdades de Medicina, Farmácia e Ciências e Tecnologia, e contribuiu também marcadamente para o desenvolvimento da investigação biomédica nos hospitais de Coimbra. Mais importante foi a formação de uma nova geração de mais de uma centena de cientistas de sucesso, que hoje se distribuem por várias universidades e muitos centros de investigação de excelência, nacionais e estrangeiros.

De salientar ainda o notável trabalho de conceção e implementação de um conceito inovador de ensino das ciências experimentais nas escolas que, enquanto fundador e diretor do Instituto de Educação e Cidadania tem vindo a desenvolver. Este Instituto, localizado na freguesia da Mamarrosa, concelho de Oliveira do Bairro, e a que a Universidade de Aveiro se associou desde a sua fundação, inicialmente através do Departamento de Biologia, tem como grande objetivo comunicar a ciência, pretendendo incentivar nas camadas escolares o gosto pelo conhecimento como arma para o sucesso, promover o ensino experimental das ciências nas escolas, com a participação de jovens cientistas e promover o nível educacional das populações, entre outros.
 
Sobre Arsélio Pato de Carvalho

Com mais de 200 artigos científicos publicados, particularmente nas áreas de Biologia e Fisiologia Celular, Bioquímica e Neurobiologia, a Arsélio Pato de Carvalho são reconhecidas contribuições significativas para o desenvolvimento da Neurociência em Portugal, particularmente na investigação sobre o papel do cálcio intracelular como regulador da neurossecreção, na defesa da liberdade plena dos estudantes de licenciatura na construção do percurso formativo dentro das várias subáreas das Ciências da Vida e na organização inovadora do ensino pós-graduado, sobretudo ao nível de doutoramento, sob a forma de cursos avançados, curtos e intensivos.

O professor catedrático jubilado do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra, fundador e diretor honorário do Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra, atual Provedor do Bolseiro de Investigação (desde 2012), membro da Academia de Ciências de Lisboa (desde 1992 e efetivo desde 2005), membro do Conselho Nacional de Educação (desde 2005) e sócio honorário da Sociedade Portuguesa de Bioquímica e da Sociedade Portuguesa de Neurociências é, também, fundador e diretor do Instituto de Educação e Cidadania da Mamarrosa, freguesia do concelho de Oliveira do Bairro, onde Arsélio Pato de Carvalho nasceu a 1 de agosto de 1934.

Aos 16 anos foi para os Estados Unidos da América, tendo na Universidade de Bedrkeley se licenciado em Bioquímica (1958) e doutorado em Fisiologia Celular (1963). Foi também investigador no Institute of Muscle Disease, em Nova Iorque, (1963-1973) e docente no Departamento de Biologia da Universidade de Columbia (1964-1970).

De regresso a Portugal, em 1970, Arsélio Pato foi nomeado Professor e Diretor do Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra. Nesta mesma universidade liderou, em 1982, a criação da primeira licenciatura em Bioquímica e do primeiro Departamento de Bioquímica do país. Em 1989 fundou o Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra, que dirigiu durante 12 anos, tendo criado um programa inovador e visionário de formação pós-graduada, que juntou médicos, biólogos, bioquímicos e farmacêuticos em projetos de investigação; uma ação fundamental para o desenvolvimento da investigação pré-clínica e clínica em Coimbra. Concebeu também o conceito de uma “faculdade de investigação”, o que se veio a materializar na forma do Instituto Interdisciplinar de Investigação da Universidade de Coimbra, tendo presidido ao seu primeiro Conselho de Investigação (1998-2000).

No final da década de 90 desempenhou um papel crucial na instalação do Biocant, em Cantanhede, cuja origem decorre de um repto seu ao então presidente da Câmara Municipal de Cantanhede. Foi membro do Conselho Consultivo do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian (1980-2006), Conselheiro do Serviço de Educação e Bolsas da Fundação Calouste Gulbenkian (2006-2010), pertenceu ao Conselho Científico da Saúde da Fundação para Ciência e Tecnologia (2002-2008) e foi membro do Conselho Consultivo da COTEC (2002-2011).
O Professor Doutor Arsélio Pato de Carvalho foi igualmente Reitor da Universidade de Coimbra (2002-2003), condecorado pelo Presidente da República com o grau de Grande-Oficial da Ordem Infante D. Henrique (2007) e distinguido, entre outros, com o Prémio Estímulo à Excelência em Investigação Científica, atribuído pela FCT (2003-2004) e o prémio “Seeds of Science”, Carreira (2010).

Em 2003, a revista Neurochemical Research publicou uma edição especial que lhe foi dedicada, pelas suas “…contribuições significativas para a investigação na área da Neurociência, particularmente no papel do cálcio intracelular como regulador da neurossecreção, e pelo empenho no desenvolvimento da Neurociência em Portugal”.

Fonte: UA Online Jornal: https://uaonline.ua.pt/Pub/detail.asp?c=50001&lg=pt
Voltar
 
   
© 2017 CNC - Center for Neuroscience and Cell Biology powered by ponto.C